Notícias

ALSOL coloca em prática INVESTIMENTO de R$ 70 MILHÕES em MG.

icone facebook icone twitter icone whatsapp

 

Alsol Energias Renováveis, empresa do grupo Energisa, está investindo R$ 70 milhões em quatro usinas de geração solar distribuída em Minas Gerais.

Todas estarão conectadas até o próximo mês de julho, com capacidade de geração de cerca de 20,3 MWp (Megawtt pico) – energia suficiente para abastecer 20 mil residências.

O foco principal dos projetos – dois deles já em operação – é o atendimento a pequenas e médias empresas, com objetivo de levar energia a custo mais competitivo a empreendedores neste momento de crise provocada pelo Covid-19. Juntas, as quatro obras geraram ou vão abrir 240 empregos diretos.

Para o presidente da Alsol e vice-presidente de Geração, Transmissão e Serviços da Energisa, Geraldo Mota, as novas usinas representam mais um passo na consolidação da companhia como plataforma de serviços integrada de energia.

“Temos um compromisso com os clientes, que é o de servir, estar próximo e suprir suas necessidades, ainda mais no cenário atual. Daí a importância de seguirmos investindo neste segmento fundamental para a energia do futuro”, afirma o executivo.

No fim de maio, a Alsol conectou a usina solar fotovoltaica Capim III, em Uberlândia (Triângulo Mineiro), com capacidade de 2,3 MWp, gerando energia de forma limpa e sustentável. O investimento foi de cerca de R$ 10 milhões.

Outras duas plantas estão sendo concluídas, com aportes que somam aproximadamente R$ 40 milhões, impulsionando ainda mais a geração solar no Estado.

A usina Santa Rosa, que deve ser inaugurada até o fim de junho, terá capacidade de geração de 6,1 MWp. Já usina Granja Marileusa I tem conexão prevista para julho, com praticamente a mesma capacidade (5,9 MWp).

Em janeiro, foi inaugurada a usina Jardim II, também em Uberlândia, com capacidade de geração de 6 MW. O projeto recebeu investimentos da ordem de R$ 20 milhões.

Os clientes dessas usinas são majoritariamente micro, pequenas e médias empresas, que atuam em segmentos essenciais, como supermercados, farmácias, padarias e açougues.

Neste modelo da Alsol (que faz todos os investimentos e comercializa cotas das fazendas solares), os empreendedores podem obter descontos de aproximadamente 20% na fatura de energia.

As unidades de Jardim II, Capim III e Santa Rosa já tiveram 100% de suas cotas de energia contratadas, com cerca 500 unidades consumidoras aderindo à modalidade geração compartilhada, em que clientes localizados dentro da mesma área de concessão da distribuidora local usufruem de energia gerada por um mesmo sistema, através da compensação remota.

A Alsol tem clientes em praticamente todas as regiões de Minas Gerais.

“O investimento em energia limpa é uma dupla oportunidade para empreendedores que desejam reduzir custos, como as despesas com energia elétrica, e as suas emissões de poluentes. São duas questões que ganham ainda mais relevância na economia pós-pandemia, portanto, a energia limpa é uma aliada na recuperação econômica e no desenvolvimento regional”, destaca o fundador e CTO da Alsol, Gustavo Malagoli Buiatti.

As fazendas solares têm baixo impacto ambiental, considerando parâmetros como solo, água e ar, e reduzem a necessidade de energia proveniente da matriz elétrica convencional, mais poluente.

Estima-se que as quatro usinas somadas evitarão a emissão de aproximadamente 2,3 mil toneladas de CO2 por ano, o equivalente ao plantio de 9160 árvores.

FONTE: BVMI – Redação DC



Voltar